Fantasia
Ronaldo Miranda

 

Fantasia Ronaldo Miranda (completa sax e piano).pdf Fantasia Ronaldo Miranda (completa sax e piano).pdf
Tamanho : 307,188 Kb
Tipo : pdf
Fantasia de Ronaldo Miranda dedicada à Paulo Moura (saxofonista popular brasileiro). No site do compositor há a seguinte crítica sobre sua obra:
“O  Duo  Paulo Moura e Clara Sverner (sax e piano)  executou uma brilhante  Fantasia, de  Ronaldo Miranda, peça que parte de  inflexões  jazzísticas  e  românticas   para  um  exuberante exercício de  imaginação  e  virtuosidade”. Luiz Paulo Horta, Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 3/4/1984
Áudio  gravado em uma apresentação na EMBAP com o Professor e Pianista Carlos Assis. O final tive que cortar, pois o programa não carregava ele completo.

Fantasia (Ronaldo Miranda).mp3

Hino Nacional Brasileiro
Hino Nacional ( Instrumentos em Bb).pdf Hino Nacional ( Instrumentos em Bb).pdf
Tamanho : 56,175 Kb
Tipo : pdf
Hino Nacional ( Instrumentos em Eb).pdf Hino Nacional ( Instrumentos em Eb).pdf
Tamanho : 53,73 Kb
Tipo : pdf
Hino Nacional (Piano).pdf Hino Nacional (Piano).pdf
Tamanho : 67,229 Kb
Tipo : pdf

O Hino Nacional Brasileiro é um dos quatro símbolos oficiais da República Federativa do Brasil, conforme estabelece o art. 13, § 1.º, da Constituição do Brasil.

Tem letra de Joaquim Osório Duque Estrada (1870 - 1927) e música de Francisco Manuel da Silva (1795 - 1865).

Foi adquirida por 5:000$ cinco contos de réis a propriedade plena e definitiva da letra do hino pelo decreto n.º 4.559 de 21 de agosto de 1922 pelo então presidente Epitácio Pessoa e oficializado pela lei n.º 5.700, de 1º de setembro de 1971, publicada no Diário Oficial (suplemento) de 2 de setembro de 1971.

A introdução do Hino Nacional Brasileiro possuía uma letra, que acabou excluída da sua versão oficial. Essa letra é atribuída a Américo de Moura, natural de Pindamonhangaba, presidente da província do Rio de Janeiro nos anos de 1879 e 1880.

Para mais informações: Hino Nacional Brasileiro
Le Cygne (Carnaval Des-Animaux): O Cisne, da obra de Camille Saint-Saens, O Carnaval dos Animais.




Le cygne (sax alto) - Alto Sax.pdf Le cygne (sax alto) - Alto Sax.pdf
Tamanho : 32,387 Kb
Tipo : pdf
Le Cygne - Piano.pdf Le Cygne - Piano.pdf
Tamanho : 210,353 Kb
Tipo : pdf
É a obra mais célebre   de Saint-Saëns.   Apesar  da aparente inocência e infantilidade, o   Carnaval   representa uma    mordaz crítica ao cenário musical de   Paris do final do século XIX. Cheia de referências a outros compositores,  Saint-Saëns proibiu a sua execução; sua estreia  em concerto foi póstuma a 9 de março de 1886.
     Essa  fantasia,  foi   escrita na   Áustria no   início de 1886, por ocasião da terça feira gorda em Paris.  Depois  veio a se repetir a 2 de abril na casa   da cantora   Pauline Viardot,   em benefício de Franz Liszt.  Eram  reuniões  privadas, pois o  autor não desejava que a obra  fosse  levada ao  conhecimento  do público. Muitas de suas   páginas,  com efeito,  são  paródias  musicais   nas   quais Saint-Saëns debicava   de  compositores  célebres, e até mesmo de seus intérpretes; ele expressa  na obra  um  humor  por  vezes ácido,  e   que  não  é  forçosamente  injustificado.  Uma  peça, no entanto, foi publicada em vida  do  autor,  e  tornada  famosa  pela bailarina Anna Pavlola. São 14 peças, aqui temos só o Cisne.

Fonte: Blog de Emanuel Martinez

Vocalise, Op. 34 No 14 (Rachmaninoff)
Vocalise Op 34 No 14 - Sax Bb.pdf Vocalise Op 34 No 14 - Sax Bb.pdf
Tamanho : 42,012 Kb
Tipo : pdf
Vocalise Op 34 No 14 (Piano).pdf Vocalise Op 34 No 14 (Piano).pdf
Tamanho : 138,078 Kb
Tipo : pdf
Sergei      Vasilievich     Rachmaninoff     (em     russo:   Сергей    Васильевич Рахманинов,  1  de  abril de 1873 — 28 de março de 1943) foi um compositor, pianista   e   maestro   russo,   um   dos   últimos grandes expoentes do estilo Romântico na música clássica europeia.

Vocalise, op. 34, n º 14 é uma canção de Sergei Rachmaninoff, publicado em 1912 como o último de suas catorze canções, op. 34. Escrito para voz (soprano ou tenor), com acompanhamento de piano, não contém palavras, é cantada utilizando qualquer vogal (de escolha da cantora). Foi dedicada a soprano Antonina Nezhdanova.

Peculiaridade na interpretação: Embora a publicação original estabeleça que a canção possa ser interpretada por uma soprano ou um tenor, geralmente é escolhida para ser executada por uma soprano.

Saxofone: No  caso   do  saxofone se   adéqua   em ambos  (soprano e tenor) sendo   que   com   o   tenor   deve   se   ter  muita   delicadeza,   pensando  na sonoridade e suavidade de um violoncelo.

Espinha de Bacalhau - Sax Alto.pdf Espinha de Bacalhau - Sax Alto.pdf
Tamanho : 127,188 Kb
Tipo : pdf
Espinha de Bacalhau - Piano.pdf Espinha de Bacalhau - Piano.pdf
Tamanho : 227,107 Kb
Tipo : pdf

Severino Araújo de Oliveira (Limoeiro, 23 de abril de 1917 — Rio de Janeiro, 3 de agosto de 2012) foi um músico, compositor, maestro e clarinetista brasileiro. Foi regente por quase 70 anos da Orquestra Tabajara, que assumiu com 21 anos de idade. 

Escrita em 1937, a música recebeu esse nome como um desafio ao clarinetista e parceiro de Severino, K-Ximbinho. A melodia extensa quase não permite que o solista respire, o que faz desta uma das composições de maior complexidade dentro do gênero. “O fato de o choro ter muitas notas pode fazer o músico engasgar, tal qual uma espinha de bacalhau”, chegou a explicar o autor.

Crie um site gratuito com o Yola